22 maio 2017

19º Raid BTT Alvalade - Porto Covo (70 kms)

Ontem, 21.Mai.2017, e tal como o ano passado, participei no Raid BTT Alvalade - Porto Covo, 19ª edição, na distancia de 70 kms, desta vez "a solo".

E tal como no ano passado, a prova foi muito boa, com um acumulado considerável, aproximadamente 600 mts, com algumas subidas, sendo a mais longa a serra do Cercal (a partir do km 54 +/-), com umas descidas bastante “porreiras”, zonas rolantes e, ao contrário dp ano passado, e porque não choveu, havia muito pouca lama (apenas um pouco na zona chamada Amazónia).

No entanto e porque não choveu, houve PÓ … muito PÓ mesmo, e acompanhado de vento!!!

A temperatura, quase até ao fim esteve agradável, com o sol sempre encoberto, algum vento, em algumas zonas (principalmente nos descampados) forte, mas sempre temperatura amena, ideal para o tipo de prova.

Mais uma vez, gostei do trajecto, gostei da organização, dos abastecimentos (3 nos 70 kms), as marcações estavam muito boas, com membros do staff e/ou policiamento nas zonas mais criticas (cruzamentos) o que transmitia uma grande segurança.

O levantamento do dorsal foi rápido, pois havia bastantes “guichets” junto à zona de partida, em Alvalade. Havia uma banca enorme com sandes, cafés, sumos, e na zona de chegada dos 70 kms, em Porto Covo.

A partida foi a horas, apesar de lenta (demorei entre 10 e 15 mins para fazer 300 mts J), mas outra coisa não é de esperar, quando falamos de, aproximadamente, 3000 participantes.

Quanto à minha prestação, e apesar de ter sido bem melhor que o ano passado, voltou a ser mázita!! Apesar dos vários treinos em distancia (já faço 80 kms) e em acumulado (já faço 1100 mts), de forma inexplicável, ao km 40/45 (não tenho a certeza) comecei com cãibras e tal como no ano passado, algumas bastante violentas/dolorosas.

Mas vamos por partes!!

Os primeiros 30 kms foram feitos a bom ritmo e sem grandes esforços (achava eu!). Confesso que quando olhei para o Garmin, ia a 30 km/h, o que no meio do mato (para mim!) é muito bom e ia “leve” sem stresses, sem acelerações malucas, mas a verdade é que a circulação era em estradões, sem grandes “obstáculos” com alguma areia, mas sempre rolantes.

Claro que, como é de prever, paguei mais tarde esse esforço. A partir do km 45 (acho eu), aproximadamente, as cãibras apareceram e a desse momento, foi gerir e sofrer (não necessariamente nesta ordem!).

Não consegui fazer a subida ao Cercal em cima da bike, foi tudo a pé, o que também não é fácil principalmente com sapatos com cleats, mas ao contrário do ano passado, apenas nas subidas (esforço maior!) é que tinha de desmontar, de resto a descer e em recta, conseguia ir gerindo.

Ao km 69, voltei a ter fortes, e quase pensei em desistir, sendo que um participante que já tinha acabado, me ofereceu uma boleia, que teria aceitado não fosse o facto de faltar apenas um km para acabar. Nesse momento, descansei um pouco, e fiz o km final, inclusivamente a subida da baía para o centro da vila … custou mas fiz !! O “orgulho” falou mais alto J J

Para finalizar, e como este era um raid, sem tempos, apenas dizer que demorei aproximadamente 04:41:14 a percorrer os quase 72 kms, tendo melhorado o tempo do ano anterior em quase 50 mins.

Uma prova, que irei (ou pelo menos tentarei) repetir em 2018, mas com outra gestão/abordagem !!!
>> Registo GPS <<
Até à próxima prova, ainda não sei bem quando!!!

01 maio 2017

11ª Maratona BTT Pinhal Novo /Arrábida - TascaduXico (40 kms)


E tal no ano passado, voltei a participar na prova organizada pela Tasca du Xico, na "companhia" do Vitor Sousa, do António Vieira e de mais 2 amigos deles (José Pedro Figueiredo e Paulo Viegas).

Foi hoje, 2016.Abr.30, e foi a 11ª Maratona BTT Pinhal Novo/Arrábida - Tasca du Xico, e, apesar da ideia inicial ser outra (eram os 70 kms) mas enganei-me a ver o acumulado (vi 1500 e era 1200 mts), pelo que decidi participar na Meia-Maratona com a distância de 40 kms (com um acumulado de 600 mts aproximadamente).

Desta vez, e ainda antes de começar a prova, tivemos um "brinde" dos céus ... chuva até ao inicio da prova, sendo que por duas vezes, a chuva era bem forte, como naqueles dias de verdadeiro inverno, e acompanhada de vento. Felizmente levei o corta-vento, que me manteve "seco" até aos primeiros 5 kms da prova, pois depois tive de o tirar senão ficava ensopado e não era da chuva (é que a chuva não entra, mas a transpiração também não sai :-/ ). Daí até ao fim não houve mais chuva, sendo que a subir a Arrábida, quando preferia que fosee mais fresco ... tivemos sol para aquecer.

Uma prova mais uma vez espectacular, com algumas subidas (uma delas uma autentica parede, com uma descida alucinante (e perigosa) e com zonas bastante rolantes.

A organização da prova, voltou a estar 5 estrelas, com uma disponibilidade e simpatia enormes, por parte dos membro do staff !!

O levantamento do dorsal foi rápido, e a zona junto à partida /chegada tinha uma exposição de bikes (BtWin, Scott, etc) que permitia "matar" o tempo enquanto não era dado o arranque, e ver máquinas bem bonitas.

Os 3 percursos existentes (passeio guiado 20 kms / meia-maratona 40 kms / Maratona 70 kms) tiveram o seu inicio com um desfasamento de 15 mins entre cada um deles. Esta opção faz com que a partida se torne menos confusa e a posterior separação também.

As partidas foram a horas, as marcações muito boas, e que com membros do staff, quer com o policiamento, as zonas mais criticas (cruzamentos com faixas de rodagem) estavam bem "vigiadas" o que me transmitiu uma grande segurança.

Quanto ao percurso como já referi, teve um pouco de tudo, sendo que nas descidas (pelo menos em 1 delas) era preciso algum cuidado. A descida mais alucinante, foi a da estrada romana, que no ano passado fizemos como subida. Confesso que apesar de ser dura, prefiro fazer a subida do que a descida ... acho bastante perigosa, com muita pedra, desníveis, etc.. No entanto, fiz quase toda em cima da bike (algo que há uns anitos nem tentaria) :) :)

Os abastecimentos eram 2 e, segundo ouvi, estavam bem servidos, mas, e tal como já vem sendo hábito, não senti necessidade de efectuar paragens.

Para finalizar, fiquei bastante satisfeito com a minha prestação, pois tirei, aproximadamente, 17 minutos ao tempo do ano passado. Este ano fiquei na posição 55 do escalão Veteranos B - Masculinos (num total de 174 participantes) e na posição 170 da classificação geral (num total de 450 participantes, aproximadamente), com um tempo de 02:19:32, o que me deixou bastante satisfeito, além de que a partir do km 30 (aprox.), a velocidade quase não baixou dos 26 km/hr, sendo que durante bastantes quilómetros, rodei acima dos 30 kms/hr.

No final, mais um ponto de abastecimento, com sandes (queijo, fiambre, chourição), bolos, aguas e sumos, tudo à descrição, e umas rifas com uns prémios (simbólicos) ... como disse inicialmente, uma organização 5 estrelas !!!

Espero voltar para o ano, mas para a Maratona !!!

Até à próxima prova ... Alvalade / Porto Covo !!!

05 dezembro 2016

Maratona BTT Canha 2016 (70 kms)

Ontem, 04.Dez.2016, foi dia de mais uma prova de BTT, desta vez na zona do Montijo.

No entanto, apesar de estar inscrito, infelizmente e por motivos de saúde (intoxicação alimentar), não pude participar como desejava.

Fica para o próximo ano :( :( :(

24 outubro 2016

VIII Edição BTT Terras do Toiro (60 kms)

Ontem, dia 23.Out.2016, voltei a participar nesta prova de BTT, na companhia do Rui Chambel, Luis Dinis e Vitor Sousa.

Se em 2013, fiz a meia-maratona, este ano participei na maratona. No entanto, apesar dos 60 km's anunciados, o percurso apenas teve 56 km's de distância.

Tal como estava à espera, foi uma prova tranquila, com um acumulado baixíssimo, e muito rolante, apesar de em alguns pontos ter umas subidas mais complicadas, mas nada "do outro mundo".

A preocupação inicial era o estado do terreno, pois como tinha chovido no sábado, pensei que fosse haver muita lama … houve alguma, mas nada de especial. Em 2 ou 3 locais, tínhamos de passar poças um pouco maiores, sendo que a primeira apareceu (se não me falha a memória!) antes do km 20, e devido a ser um pouco profunda, os pés ficaram imediatamente encharcados, o que provocava algum desconforto, até porque ainda estávamos na fase inicial da prova.

O percurso, como já referi, era rolante, com pequenas elevações, muita pedra solta, e alguma areia.

Nas zonas mais descampadas, o vento fazia-se notar, sendo que os últimos 3 km's (aprox.) foram feitos com o vento de frente.

Relativamente à organização, mais uma vez, achei muito boa. Saímos com um atraso de 5 minutos, aproximadamente, o percurso estava bem marcado, com setas e fitas, e pessoal da organização e alguns escuteiros, colocados em alguns pontos estratégicos, para auxiliar.

Apenas um reparo positivo. Contrariamente ao que assisti em 2013, e noutras provas posteriores, não vi muito lixo (garrafas, embalagens de géis) durante o percurso. O pessoal parece que começa a respeitar mais a natureza e o espaço por onde andam… ou então foi uma vez sem exemplo!!

Uma curiosidade. A partir do km 46 até ao km 54, tive uma companhia muito particular. Um CÃO !!

Não sei porquê, mas o animal fez-me companhia nesses 7 km's e nunca saiu do pé de mim … se o meu ritmo fosse lento ele andava, se o ritmo aumentasse ele corria. E mesmo quando passavam outros corredores ao meu lado, ele continuava ao pé de mim … houve quem perguntasse se era meu :)

Confesso que o receio inicial (pois canídeos e bicicletas, não costumam ser uma boa dupla), deu lugar a uma calma normal, quando percebi que o animal apenas me acompanhava e nunca se tentou chegar perto da bike, nem das pernas. Adorei o momento e confesso que adorei a companhia. Este meu "amigo", apenas deixou a minha roda ao km 54, pois foi quando entrei na estrada/alcatrão e o andamento aumentou bastante.

Para finalizar, apenas indicar que fiquei em 102º classificado no escalão (106º classificado da geral), com um tempo de 03:10:37.

>> Registo GPS <<
Até à próxima prova ... seja ela quando for !!!

12 setembro 2016

Giant Terrago 1 - Novo Look

E eis que quase 6 anos depois, a minha "menina" levou um restyling e, para mim, ficou muito mais alegre !!

Além da pintura do quadro (autoria do João Matias), também levou novos punhos, discos de travão e pedais (os outros já estavam a pedir reforma, ao fim de 5 anos de muita lama, chuva, pedra, etc).

A proxima aquisição será uns sapatos novos, pois os outros estão com 5 anos (com o mesmo tratamento dos pedais, além de já ter rasgado as costuras e terem de ser cozidos), e o nr dos mesmos não é o mais correcto (fruto da inexperiencia!).

Como é lógico, já estão escolhidos (Sidi Eagle 5-Fit MTB Fluo) ... falta apenas fazer o pé-de-meia !!

Para vossa apreciação, aqui está o antes


e o depois do restyling !!!


LINDA :) :)